Os usuários de uma droga chamada koaksil, um primo próximo de um tipo de morfina suja,  está se espalhando como um vírus entre os jovens russos, e estes não vivem mais do que dois ou três anos, e os poucos que conseguem sobreviver normalmente saem desfigurados.


O componente ativo é a codeína, um analgésico amplamente vendidos em farmácias que não é tóxico por si próprio. Mas para produzir koaksil, cujo nome médico é desomorphine, viciados na droga a misturam com ingredientes incluindo gasolina, thinner, ácido clorídrico, iodo e fósforo vermelho, que raspam das pastilhas em caixas de fósforos. Em 2010, de acordo com várias estimativas oficiais, centenas de milhares de jovens injetaram a substância resultante em suas veias na Rússia, até agora o único país no mundo a ver a droga se transformar em uma epidemia.

A droga ganhou um apelido: O “podre”.

David Gillanders / Getty Images
No local da injeção, que pode estar em qualquer lugar desde os pés até a testa, a pele do viciado se torna esverdeada e escamosa, como o de um crocodilo, depois os vasos sanguíneos estouram e os tecidos em volta morrem. Gangrena e amputações são um resultado comum, enquanto o tecido ósseo poroso, especialmente no maxilar inferior, muitas vezes, começa a se dissipar, devoradas pela acidez da droga.
O usuário se torna de certa forma um zumbi. Ele não sai atacando ninguém, nem com fome de cérebros, mas a sua aparência (com ossos aparecendo) lembra muito essa figura. O vídeo abaixo é muito forte mostrando em tese tudo o que eu disse acima. A pessoa viva, coinciente sendo tratada pelo médico. Crack e Óxi são fichinhas perto do koaksil.

Lembre-se: O vídeo é bem pesado!

http://home-psychiatrist.blogspot.com

7 Comentários

  1. [COBRA] QUICKSHOT

    27 de junho de 2011 em 09:23

    Mais um vídeo daquele pro café da manhã…. esse é o baiano!!! uiHAUIHuiahUIAHui.. Mas assim, na real, o que esse pessoal quer da vida? que coisa horrível, que vício.. assim estamos chegando ao fim da humanidade. não serão bombas H, nem bombas de Neutros que destruirão a vida na terra, e sim nós mesmos. Deus tenha piedade dessas pessoas, pois se não tiver, o inferno vai agradecer!!! Boa semana a todos!

    Resposta

    • [COBRA] KAMPAS

      27 de junho de 2011 em 22:49

      na boa quick,

      já estão no inferno…. e dificil mente sairam dessa…

      Resposta

  2. [COBRA] KAMPAS

    27 de junho de 2011 em 22:46

    Em muitos casos são pessoas com pouca estrutura familiar, traumáticas ou incompreendidas.

    É muito triste ver-los chegar ao fundo do poço…

    Resposta

  3. [COBRA] KABANNA

    28 de junho de 2011 em 09:43

    Eu busco na internet coisas legais pra compratilhar com nossos fieis visitantes, mais essa foi uma das piores que ja vi.

    Resposta

  4. [COBRA] PANDA

    28 de junho de 2011 em 11:43

    Tenque ser muito burro para usar uma coisa dessas. Os caras procuram nisso o alivio em suas dores. Esse não é o caminho. Pena dessas pessoas de mente fraca.

    Resposta

  5. [COBRA] KABANNA Líder

    30 de novembro de 2011 em 16:12

    Essa galera é fã mesmo de Zumbi, esse post foi publicado em 27/06/2011 e só hoje já teve 130 acessos rsrsrs

    Fã é fã!!!

    Resposta

  6. [COBRA] PR3D4DOR

    30 de novembro de 2011 em 17:49

    Na moral galera sofri dias com uma dor dente infernal por causa de uma raiz inflamada, nada fazia aquilo parar de doer.
    Não dormia, não comia, não jogava nem pensar mais eu tava conseguindo…nessas horas o cara toma o que vier pela frente, chamar de mente fraca se ta tudo bem é fácil quero ver quando tudo vai mal.
    Agora voltando aos zumbis, nego não curte de montão, bora então todo mundo virar zumbi, deixa que eu mato 1 por 1 depois! kkkkkkkkkkkkk

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Menino usa caixa de sapato para fazer controle de videogame

João Pedro mora em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba. Invenção cham…