Dilma manda demitir o presidente da Telebrás.


O atual presidente da Telebrás, Rogério Santanna, cuja substituição foi anunciada na terça-feira (31), afirmou à Agência Brasil que sua saída deve ter ocorrido por “insatisfação de alguns setores” sobre o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). A mudança na direção da estatal deve ser confirmada em reunião do conselho de administração nesta quarta-feira (1º). 

O plano foi lançado em maio do ano passado, com o objetivo de triplicar o acesso à banda larga de 11,9 milhões de domicílios para 40 milhões de domicílios até 2014. Em abril deste ano, Santanna admitiu que dificilmente a estatal conseguiria cumprir as metas estabelecidas para o PNBL em 2011 – de levar internet rápida para 1.163 municípios. Diante de alguns atrasos, a meta foi reduzida para 800 cidades.

“O governo anunciou que vai fazer alguns ajustes na Telebrás e não tinha me falado nada. Hoje (terça), eu descobri que o ajuste é a minha saída. Devo ter provocado alguma insatisfação em setores que não enxergam no Plano Nacional de Banda Larga um bom projeto”, disse Santanna à agência do governo na noite de terça (31).

Na terça, a Telebrás divulgou um comunicado ao mercado em que afirma esperar que a nomeação de Caio Bonilha para a presidência da estatal seja efetivada pelo conselho de administração. Bonilha, que ocupa o cargo de diretor comercial da Telebrás desde novembro do ano passado, foi indicado pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, para substituir Rogério Santanna.

De acordo com o comunicado, a indicação de Bonilha “tem por objetivo fortalecer a empresa e sua relação com o Ministério das Comunicações, a fim de propiciar melhores condições para o cumprimento de sua missão no âmbito do Plano Nacional de Banda Larga”.

Ainda de acordo com a estatal, o ministro prestou agradecimentos a Santanna pelo “papel fundamental no reestabelecimento das atividades da Telebrás”.

O comunicado informa que Bonilha é formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com especialização pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Ele é engenheiro, especializado em tecnologias, negócios e estratégias para empresas de telecomunicações e energias.

Primeira etapa
Na terça-feira (31), a Telebrás confirmou que concluirá a construção dos primeiros 337 km da rede de fibra ótica previstos no Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) até a metade de junho. A estatal gestora do PNBL afirmou que este primeiro trecho fará parte do Anel Sudeste, ligando Brasília a Itumbiara, cidade goiana situada na divisa com Minas Gerais. A conexão da rede principal a outros municípios da região será finalizada até o início de julho, afirmou a Telebrás.

O Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) consiste na construção de uma rede nacional de telecomunicações com a meta de levar internet de alta velocidade a 4,2 mil municípios brasileiros até 2014, por meio de uma rede de cerca de 30 mil km.

http://g1.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

LG está considerando sair do ramo de smartphones em 2021

Depois de anos com prejuízos, CEO fala sobre possibilidade de parar a fabricação Novos rel…