Na cidade de Magdeburg, na Alemanha, uma iniciativa, que partiu da própria população, está diminuindo a quantidade de lixo no município e, ainda, incentivando o hábito da leitura entre os moradores: é a Open Air Library, uma biblioteca pública construída, basicamente, com mil caixas de cerveja.

As embalagens plásticas, que são habitualmente usadas para vender a bebida em lotes, foram doadas por uma empresa da região e, para erguer a biblioteca, a própria comunidade pôs a mão na massa, com a ajuda do escritório de design Karo, que fez o acabamento da obra reutilizando partes da fachada de um armazém abandonado da cidade.

Depois de pronta, a biblioteca continua dependendo da boa vontade da população: os mais de dois mil livros de seu acervo foram doados pelos moradores e a conservação das obras e do espaço também depende deles. Isso porque não existem seguranças nem bibliotecários no local, que fica aberto 24 horas e funciona na base da confiança mesmo: qualquer um pode entrar no edifício, pegar um livro e levar para casa.

Por enquanto, todas as obras foram devolvidas e a população está cada vez mais orgulhosa da iniciativa, que recebe doações de livro, praticamente, todos os dias. Será que uma biblioteca colaborativa, no estilo da Open Air Library, funcionaria por aqui?

O edifício público – que ainda conta com área externa com muito verde e espaço para apresentações culturais – foi desenvolvido com a intenção de recuperar a autoestima dos moradores da cidade, que ficou praticamente abandonada depois da reunificação da Alemanha. O objetivo parece ter sido alcançado, não?

 


Na Tailândia, monges da província de Sisaket, que fica próxima a Bangkok, construíram com as próprias mãos o templo onde vivem, utilizando apenas garrafas usadas de cerveja! A coleta do material começou há 27 anos, mas os religiosos só iniciaram a construção quando juntaram algumas centenas de garrafas, necessárias para construir a torre principal do templo.

Hoje, o Wat Pa Maha Chedi Kaew, também conhecido como “Templo de Um Milhão de Garrafas”, possui crematório, salas de oração, acomodações para os monges e até banheiros para os turistas, construídos apenas com as garrafas de vidro – e cimento, para garantir a sustentação das paredes.


Além de coletar os vasilhames, os monges também vão atrás das tampinhas das garrafas, que são utilizadas para produzir os mosaicos com imagens de Buda que decoram as paredes do templo tailandês.

Wat Pa Maha Chedi Kaew virou atração turística no país e quem vai ao lugar para conhecer a edificação tem um dever: levar algumas garrafas de cerveja vazias, para garantir a ampliação do templo.

http://super.abril.com.br e http://planetasustentavel.abril.com.br

Um comentário

  1. [COBRA] PANDA

    20 de junho de 2011 em 12:26

    Que massa isso, porque não fazem isso por aqui também. Vou fazer um apara mim. Aceito doações.kkkkkkkk

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Super Nintendo World, o parque da Nintendo, vai abrir em 4 de fevereiro em Osaka

Parque finalmente divulga data de inauguração com destaque para montanha-russa RA O Super …