O EADS apresentou neste final de semana o conceito da aeronave do futuro – um sistema de transporte de alta velocidade e com pouquíssima emissão de poluentes.

O avião teria capacidade para entre 50 e 100 passageiros e se chamaria ZEHST – Zero Emission High Supersonic Transport (transporte supersônico com zero de emissão).

Durante o Paris Air Show, o grupo, formado pela Airbus, Astrium, Cassidian e Eurocopter, afirmou que a nave poderá voar a 32 km de altitude na velocidade Mach 4 – o que significa que o avião poderá fazer Tóquio-Paris em menos de 2h30.

Essa velocidade coloca a aeronave na categoria “supersônica” – entre 1 e 5 Machs. Um Mach equivale a  1234,8 km/h, ou a velocidade mínima para se ultrapassar a barreira do som. Para se ter uma ideia, os atuais aviões de passageiros voam a apenas 10 mil pés e não chegam a 950 km/h.

Além de rápida, a nave atenderá às metas estabelecidas pela Comissão Europeia para redução de CO2 das aeronaves em 75% até 2050, além de diminuir os níveis de barulho em 65% até a metade do século em comparação aos níveis de 2000.

A redução será possível graças a um sistema combinado de propulsores. O ZEHST decolaria usando motores comuns movidos a biocombustível de algas. Ao atingir a velocidade Mach 2,5 e 23 km de altitude, ele passaria a usar um motor de foguete com tanque de hidrogênio líquido para chegar a Mach 4 e 32km de altitude. Os passageiros, no entanto, só sentiriam uma aceleração de no máximo 1,2g.

Por enquanto, o projeto é apenas uma pesquisa inicial. Até o final da década a EADS pretende criar uma primeira versão da nave, mas garante que ela não estará nos ares antes de 2040.

http://info.abril.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

TV 8K da Sony ‘ideal para PS5’ chega ao Brasil com 75″ e preço de carro

Modelo já está disponível para comprar no site oficial da marca A Sony começa a vender a n…