A operação no Paquistão que resultou na morte de Osama Bin Laden em 1º de maio trouxe à tona uma arma secreta usada pelos Estados Unidos em missões de grande risco: os supercães.

Mais do que treinamento (muito), esses animais possuem uma série de aparatos que os tornam verdadeiras máquinas de apoio tático.

Apesar de o governo manter em sigilo grande parte dos detalhes da operação em Abbottabad que matou o homem por trás dos atentados de 11 de setembro, diversos órgãos da imprensa internacional dão como certo o uso de pelo menos um cão pela equipe dos Navy SEALs. O The Register, inclusive, confirma que o exército fechou um contrato no ano passado de $86 mil com a K9 Storm Incorporated, empresa canadense que fornece as roupas especiais dos cães.

Adequadamente aparatado, o super-cachorro pode saltar de paraquedas ou descer de rapel por uma corda preso a um soldado (como parece ter sido o caso da operação Bin Laden, uma vez que a chegada à casa foi feita com helicópteros).

A roupa da K9 é feita de nylon e lycra e aguenta mais de uma tonelada suspensa. Ela leva entre 30 e 40 segundos para ser colocada em um cachorro e pesa entre 1,3 kg e 3,5 kg, dependendo dos acessórios.

A roupa pode ser encomendada para diversos propósitos, cada um correspondendo a um modelo diferente. O mais básico, de resgate, custa a partir de US$909; o mais caro, equipado para invasões aéreas com prendedores e outros apetrechos, não sai por menos de US$2801. Os modelos estão disponíveis em seis cores: preto, azul escuro, marrom, oliva, camuflado floresta, camuflado deserto e laranja (para resgate). O tom preto possui uma cobertura especial e não reflete.

Esses valores são o mínimo e não incluem quase nenhum dos opcionais da roupa. Há desde itens mais simples, como incluir um distintivo bordado (US$36), fitas sinalizadoras (US$44) e porta light stick (US$31), até alça para segurar o animal (US$213) e um conjunto completo de iluminação.

Há desde luz infra-vermelha normal e piscante até visão noturna com alcance de 8 km, luzes à prova d’água que agüentam mais de 90 metros submersas, luz omni direcional, pacote com 120 horas de bateria no modo flash, entre outras coisas. O kit completo custa US$170.

A roupa canina ainda pode ser a prova de balas (diferentes níveis são produzidos) e é capaz de agüentar perfurações de faca.

No caso dos cães usados na operação Bin Laden, acredita-se que teriam câmeras noturnas infravermelhas e um sistema de comunicação capaz de penetrar paredes de concreto, além de colete salva-vidas inflável, caso caíssem na água.

http://info.abril.com.br

2 Comentários

  1. [COBRA] KAMPAS

    18 de maio de 2011 em 07:54

    esse cão atira com uma 38??

    se não… o meu faz mais!

    kampas

    Resposta

    • Panda

      18 de maio de 2011 em 11:38

      Não quer nada né Kampas.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Menino usa caixa de sapato para fazer controle de videogame

João Pedro mora em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba. Invenção cham…