A guerra parece ter consequências até mesmo quando é praticada virtualmente. Ainda agora passaram pouco mais de 24 horas desde que foi publicado o primeiro trailer de Call of Duty: Modern Warfare 3 e o Daily Mail, já está a criar polémica.

O jornal destaca as semelhanças entre ascenas do jogo que se passam em Londres e o ataque terrorista que a cidade sofreu no dia 7 de julho de 2005.

“Um jogo de computador ultra violento que apresenta explosões e cenas de destruição no metropolitano de Londres e no Parlamento será lançado este ano. Os que apoiam as vítimas afectadas pelos ataques suicidas de 7/7 estão a pedir que Call of Duty: Modern Warfare 3 seja proibido,” publicou o jornal britânico. O artigo mostra imagens do jogo comparando-as com os cenários reais.

Call of Duty: Modern Warfare 3 vai chegar às lojas a 8 de novembro. Até lá esperem mais polémicas que certamente irá fazer com que o jogo esteja na boca de todo o mundo.

http://www.eurogamer.pt

Um comentário

  1. Panda

    26 de maio de 2011 em 06:59

    Sempre alguem se acha prejudicado, e que o jogo faz ofenças. Ele apenas trata fatos reais que ocorreram e não faz mentiras ao fato. lembro que queriam proibir o Black Ops, por causa da missão de matar Castro. Não deu em nada. Algum brasileiro reclamou sobre a invasão da favela no MW2? Acho que nao.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Activision revela que base ativa de Call of Duty cai para menos de 100 milhões de jogadores

A base de usuários ativos mensais (MAUs) da Activision para Call of Duty caíram para menos…