Os narradores de TV que torcem para a Argentina cair na primeira fase e para o Vettel quebrar na largada já podem dormir tranquilos. A ameaça estrangeira foi eliminada, pelo menos no futebol virtual de FIFA 11. A missão foi cumprida por Gustavo Nascimento, 15 anos, que venceu repescagem, eliminou um uruguaio na semi e usou o Brasil para bater o Chelsea, de outro brasileiro, por 2 a 1 na final.

Gustavo foi o campeão da etapa latina do FIFA Interactive World Cup, realizada em São Paulo neste fim de semana, e vai representar a raça desse povo cheio de ginga na final mundial em Los Angeles, de 7 a 9 de junho. Ele ganhou R$ 1.200 e vai disputar nos EUA o prêmio de US$ 20 mil – além de um convite para a “festa de gala” em que a FIFA premia jogadores do mundo real como Messi e… Messi.

Gustavo diz que vinha treinando cinco horas por dia e que decidiu participar do campeonato, principalmente, por não ter conseguido se inscrever em 2010. Tímido, com aparelho nos dentes e boné virado, o torcedor do Corinthians acabou ganhando a amizade de jogadores que foram sendo eliminados e se transformaram em torcida. Ao final do campeonato, ele foi abraçado por parte da plateia, chorou e mal sabia como comemorar. Em segundo lugar ficou Alessandro Rossini, 22 anos (prêmio de R$ 800); o terceiro foi Felipe Martins, 20 (R$ 600).

No sábado foram classificados 12 jogadores para as oitavas de final. No domingo, a tabela foi reformulada para o começo da respescagem, que classificou mais quatro jogadores para as oitavas. O único “repescado” que foi mais longe acabou sendo justamente Gustavo, o campeão. E graças à vitória do garoto, já podemos falar em “quebra de tabu“, destravando um “achievement” tão sonhado. Pois desde 2008 um brasileiro não vencia a etapa latina do FIWC. Em 2008 e 2009 tivemos o mexicano Ruben Morales; em 2010, o colombiano Javier Muñoz levou a melhor.

Na primeira fase, Gustavo jogou com o Real Madrid. Perdeu no primeiro dia e voltou para a repescagem no domingo. Foi um dos quatro “repescados” a ganharem vaga nas oitavas, e o único deles a chegar na semi. Venceu o uruguaio Diego e derrotou o brasileiro Alessandro na final. “No começo, como não podia mudar a escalação, joguei com o Real Madrid”, diz Gustavo, que depois passou a jogar com o Brasil nas etapas que já permitiam mudanças no time. Ele foi no “4-2-1-2, com um volante, dois meias abertos”. Seu artilheiro? Neymar.

“Tenho um passaporte, mas nem sei se vale mais”, disse Gustavo, depois de receber os prêmios. Na final mundial, ele se junta a outros 23 jogadores. Mas antes, precisa correr atrás do visto para os Estados Unidos, e rápido, já que a competição em Los Angeles começa em breve: de 7 a 9 de junho, coincidindo com a E3 2011.

Quase uma maratona

Foram 384 jogadores inscritos, segundo os organizadores, algo equivalente a 12 Copas do Mundo. Tudo realizado em uma arena na entrada do Shopping Eldorado, em São Paulo, onde visitantes casuais puderam assistir a partidas e também participar de brincadeiras para ganhar uma camiseta, entre outros brindes. Dois mestres de cerimônia, que organizavam a competição, entrevistavam participantes e faziam piadas envolvendo Coritiba, Avaí e Tolima, ganham pontos aqui por não terem perdido o bom humor durante a cansativa maratona. Em um minicampo montado próximo ao telão, o público participava de brincadeiras, profissionais do “futebol freestyle” faziam manobras como zerinho, 360 e outras acrobacias menos tradicionais.

Nós acompanhamos a competição durante o domingo e não notamos invasões de campo, brigas de torcida ou ofensas graves. Era possível assistir a todas as partidas sem sufoco, mas o telão poderia ser mais bem utilizado – só transmitia partidas não-oficiais e brincadeiras, na maior parte do tempo. Também concordamos com jogadores, seus familiares e suas namoradas-que-não-pareciam-muito-felizes: o formato poderia ser mais enxuto. A grande ocorrência de W.O. e a reformulação da tabela para a repescagem acabaram deixando o passeio no shopping um pouco mais cansativo e demorado para todos os envolvidos

Via Kotaku

5 Comentários

  1. leandro

    1 de junho de 2011 em 09:26

    CADE O CICERO PRA BATER O RAPAZ AI

    Resposta

    • [COBRA] KAMPAS

      1 de junho de 2011 em 13:24

      O Cisso foi barrado pela mãe. Teve que apresentar o boletim

      Kampas

      Resposta

  2. Michel Lima

    3 de junho de 2011 em 21:05

    Fala aí pessoal! Sou do RJ e sempre tive vontade de participar do FIWC, mas como sempre é em SP, acabo não indo.
    Este é o único local que vi informações sobre o resultado do FIWC11. Um absurdo! Nenhum site de notícias falou a respeito.
    Vcs poderiam me dar detalhes de como foi o evento? Quantas pessoas se inscreveram? Que horas acabaram as inscrições? É fácil fazer a inscrição? Quantas partidas são disputadas? Qual é o tempo? Teríam as regras básicas gerais?
    Poderiam passar estes detalhes? Vou ver se consigo participar no ano que vem.
    Se quiserem me adicionar, meu nick no PS3 é MichelFL.
    Abs

    Resposta

    • [COBRA] KABANNA

      4 de junho de 2011 em 18:09

      Obrigado Michel pela visita,

      Não tenho a inf. mais ireimos busca-la!

      Resposta

  3. [COBRA] G3

    5 de junho de 2011 em 10:25

    KABANNA , eu e vc…X1 no FIFA

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Open Beta de Call of Duty: Black Ops Cold War começará em outubro

Nos últimos dias, os afortunados players do PS4 tiveram a oportunidade de participar do Al…