A tecnologia 4G (LTE) pode ser a solução para conexões banda larga em áreas rurais e urbanas em desenvolvimento onde a internet fixa é menos eficiente. A afirmação é de especialistas do IEEE, associação profissional global para o avanço da tecnologia.

De acordo com o IEEE, esta tecnologia wireless de alta velocidade pode auxiliar na expansão da educação à distância, proporcionar acesso a informações por agricultores e até mesmo ampliar o alcance dos cuidados de saúde com a telemedicina.

Com a transferência de dados em velocidades que variam entre 100Mbps e 1Gbps (mais veloz até mesmo que alguns acessos fixos), o 4G poderá eliminar o abismo digital que há entre grandes centros urbanos e rurais em países emergentes.

“O 4G, com um número maior de bandas de frequência do que as gerações wireless anteriores, permite que as operadoras utilizem o sinal de baixa freqüência que viaja muito além das estações de transmissor usando a mesma quantidade de energia. Isso amplia a cobertura geográfica a um custo menor do que as atuais gerações de tecnologia wireless”, afirma Shuzo Kato, membro do IEEE e inventor do chipset TDMA em 1986.

Segundo o Fundo de População das Nações Unidas, mais de 3 bilhões de pessoas em todo o mundo moram em áreas rurais. Mas como possuem densidade populacional mais baixa, o custo para cabear as regiões com fibra ótica acaba sendo um empecilho para sua propagação.

Além disso, as limitações de banda e cobertura das gerações anteriores de conexões sem fio tornaram-se um desafio para as operadoras, especialmente em países como Brasil e Índia, onde os investimentos seriam inviáveis para o tipo de serviço necessário.

Porém, uma recente pesquisa da Wireless Intelligence afirma que os mercados emergentes respondem por quase 80% do total de conexões wireless.

“Conforme o volume de assinantes de serviços wireless cresce em áreas rurais e em desenvolvimento, espera-se que os custos mais baixos com infraestrutura se traduzam em mais serviços e capacidade para todos, independentemente da localização, para auxiliar o crescimento industrial e econômico de forma mais eficiente”, diz Carlos Cordeiro, membro sênior do IEEE e arquiteto-chefe de normas para o Mobile Wireless Group da Intel.

http://info.abril.com.br

2 Comentários

  1. [COBRA] KAMPAS

    21 de maio de 2011 em 12:43

    Agora que o Cisso vai ter uma net decente… Calango nordestino!

    Resposta

  2. Panda

    22 de maio de 2011 em 09:14

    Se não fosse limitada essa pora de 3G ou 4G, até dava para pegar para quebrar o galho. Mas mano, é muito ruim. Querem colocar 4G, primeiro arrumem a 3G, que eu sei o que essa coisa apronta com o cara. Ruim demais.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Telegram testa chamadas de voz em grupo

Em breve, o Telegram permitirá chamadas de voz em grupos. O recurso está em testes na vers…