O evento Game Developers Conference, ou simplesmente GDC, já começou e sabe-se que a Electronic Arts e a DICE estão a preparar a sua conferência para nos relevarem mais informações sobre Battlefield 3, principalmente sobre o motor de jogo Frostbite 2 e a destruição no mesmo.
Tal como todos os fãs de uma série, nós queremos saber tudo sobre um jogo que esteja para sair, nem que seja uma pequena frase com informação. Com a ajuda do “Varzim05“, fiquei a conhecer algo mais sobre Battlefield 3, fiquei a conhecer novas notícias assim como rumores criados ainda quando este jogo não tinha sido oficialmente anunciado. Mais tarde, consegui ter acesso a algumas scans da revista Gameinformer que continha o artigo especial sobre o Battlefield 3, e aí fiquei a saber ainda mais sobre jogo; mais do que as principais notícias que todos conhecemos graças a vários sites.
É toda essa informação que quero partilhar com todos vocês, sejam apreciadores ou não, da série.

imagem_01_Copy

As primeiras provas de que o jogo estava em desenvolvimento surgiram quando, em 2007, a Digital Battle publicou um documento interceptado no qual dizia que o jogo estava em produção e que continha alguma informação sobre o mesmo. Nomeadamente:
  • O jogo iria conter oito mapas urbanos, sendo que um deles se iria chamar “Bagdad Burning” e iria ser algo semelhante ao “Strike at Karkand” do Battlefield 2;
  • Iriam haver dois exércitos jogáveis, a NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e os MEC;
  • Existiriam cinco classes disponíveis (Assault, Medic, Sniper, Engineer e Support). Para quem não jogou os Battlefields anteriores aos Bad Companies, fiquem a saber que a classe “Support” é que disponibilizava as munições e não a classe de “Assault”;
  • O jogo também iria conter 48 veículos e 34 armas diferentes, assim como 22 coisas para desbloquear como diferentes munições, coletes, capacetes, camuflagens e outros acessórios;
  • O documento também indicava que o jogo iria conter uma opção para personalizar o soldado (algo como já vimos em Battlefield Heroes e Play4Free);

imagem_05_Copy

Nos meses seguintes, quando confrontados com perguntas sobre Battlefield 3, a EA e a DICE respondiam que não tinham comentários a fazer ou que não passava de um mito.
Mais tarde, uma edição da revista “PC Gamer” confirmava, através de uma fonte não oficial, novas informações sobre o jogo. A personalização de soldados, as classes, um sistema de esquadrões ao estilo Battlefield 2, assim como as armas e os veículos.
Em 2008, Ben Cousins, produtor executivo da DICE, confirmava que estavam a ser feitos cinco jogos da série Battlefield. Três deles eram Bad Company 2, Battlefield Heroes e Battlefield Online (Coreia).
Numa entrevista com John Pleasants, antigo presidente da Electronic Arts, este confirmou a produção: “tive o prazer de ver Battlefield 3 na Suécia, na DICE, e fiquei bastante impressionado pelo trabalho daquela equipa. Claro que não irá sair este ano, mas o jogo está a ficar muito bom”.
Não muito depois, Battlefield 3 também foi anunciado pelo vice-presidente da DICE, Karl-Magnus Troedsson, através do Twitter – “Nós confirmamos que estamos a trabalhar em Battlefield 3, mas nesta altura não podemos adiantar mais nada”.

imagem_02_Copy

Já em Julho de 2010, a EA anunciou que quem comprasse a edição limitada ou a edição “Tier 1” de Medal of Honor, iria receber um convite para a versão beta de Battlefield 3. Também disseram que a versão beta seria lançada um ano após o lançamento de Medal of Honor.
No início do presente ano, a EA anunciou que Battlefield 3 não seria um exclusivo para PC, pois também seria lançado para a Xbox 360 e para a PlayStation 3. E que relevariam mais informações na GDC deste ano.
Neste mês ficámos a saber que quem comprasse a edição limitada do jogo teria direito a quatro mapas clássicos de Battlefield 2.
Também este mês, a EA revelou um vídeo a demonstrar os efeitos de luz do motor gráfico presente no jogo, o Frostbite 2.

imagem_03_Copy

A revista GameInformer lançou recentemente uma edição com um artigo especial sobre Battlefield 3. Na mesma, a revista começa por descrever a história sobre o início das séries Battlefield, Call of Duty e Medal of Honor até aos dias de hoje e por salientar que toda a equipa de produção de Battlefield 3 é a mesma desde o primeiro Battlefield. Coisa que não acontece com as equipas de produção dos outros dois rivais.
A Electronic Arts e a DICE estão a apostar forte neste jogo, sendo que Battlefield 3 será lançado na mesma altura que Gears of War 3, Batman: Arkham City, Elder Scrolls V e o próximo Call of Duty.
Em conversa com o produtor executivo de Battlefield 3, Patrick Bach, ficamos a saber que este jogo já está a ser produzido desde 2005, logo após o lançamento de Battlefield 2. Desde então, a equipa de produção esteve a estudar os vários first-person shooters no mercado e a organizar ideias. Eles notaram que o problema dos outros jogos é que os jogadores levam demasiado tempo a sentirem-se no meio da acção, e acreditam que a solução para tal mal passa por juntar todas as tecnologias do jogo (o mapeamento, a animação, a luz, partículas, o som e a jogabilidade) num só motor.
Patrick Bach, disse: “Tens de sentir o sol nos olhos, tens de sentir uma chuva de balas à tua volta (…) Toda a gente anda a tentar conseguir isso, mas nós pensamos como criar essa emoção”.
A revista também descreveu algumas das novidades deste jogo, das quais vos vou falar agora.

imagem_04_Copy

 

Destruction 3.0
O primeiro Bad Company apresentou-nos um sistema de destruição que nos permitia destruir paredes. Em Bad Company 2 já era possível demolir casas inteiras. Para Battlefield 3, a DICE quis algo ainda maior, sendo agora possível destruir ambientes urbanos com grande realismo.
Com este novo sistema, nada está a salvo da destruição. Numa demo, os jornalistas presenciaram um terramoto separar as estradas e transformar um prédio de 7 andares em poeira e entulho.
Quando um disparo de RPG acerta num prédio, a explosão provoca uma onda de pressão que faz com que se partam as janelas que estão no raio da explosão, e transforma a fachada de um prédio em centenas de pedaços.
O produtor executivo, Patrick Bach, disse que os desastres naturais “têm de ser credíveis” e que “não podes ter terramotos constantemente enquanto corres e disparas. Nós queremos definir que zonas condizem com o tipo de mapa; zonas que possam ter maiores explosões e animações. Nós preparámos coisas bem fixes.”

imagem_06_Copy

Tecnologia ANT
Apesar das animações das personagens já parecerem realistas em Battlefield 2, a DICE foi buscar a tecnologia ANT (usada em jogos da EA Sports como o FIFA) e modificou-a para a incorporar em Battlefield 3.
Esta tecnologia faz com que as personagens estejam constantemente a olhar para a zona em que se passa a acção. Ou seja, se nos estamos a proteger por trás de algo, a animação do nosso soldado será de virar a cabeça e a arma, antes do corpo, como se tivesse a olhar para o que se passa do outro lado da zona em que ele está encostado. Nada melhor que verem a imagem seguinte para verem do que vos falo.

 

imagem_07_Copy

 

A experiência de Áudio
Battlefield: Bad Company 2 é um dos jogos de guerra com melhores efeitos sonoros, mas a ambição da DICE em relação ao áudio também continua a subir.
O director de áudio, Stefan Strandberg e a sua equipa entraram em campo para gravar de perto sons de guerra, durante um exercício dos militares suecos. O exercício contou com batalhões de infantaria, tanques e helicópteros.
Na zona de tiro, a equipa de Strandberg, gravou amostras de disparos a várias distâncias para terem a certeza que os sons do jogo se mantém fiéis aos da vida real.
Com todas estas gravações, a DICE quer facilitar aos jogadores a tomada de decisões rápidas só pelos sons. Os jogadores terão uma melhor sensação da acção que está a decorrer graças ao trabalho desta equipa.
Para terem uma ideia, os passos de um inimigo que esteja na mesma casa que nós, ouvem-se mais alto que uma troca de tiros do outro lado da janela.
Também será fácil distinguir o som de um veículo a vir na nossa direcção e a ir-se embora, assim como o som de um tanque em esforço a tentar subir uma área com um desnível mais acentuado. Também, sem quaisquer indicações visuais, será mais fácil perceber quando é que uma arma está prestes a aquecer.

imagem_08_Copy

Na entrevista com Patrick Bach, ficamos a saber que a equipa de produção aprendeu com alguns erros em relação ao DLC de Bad Company 2, assim como o sistema de Ranking e prometeram colocar mais empenho em Battlefield 3.
Haverá uma personalização de soldados, sendo possível a personalização no visual da personagem. Mas não será possível uma personalização como a de Rainbow Six: Vegas ,em que qualquer um podia personalizar ridiculamente as suas personagens com camuflados das cores que quisesse, provocando que durante os jogos onlinefosse difícil entender quem é que era ou não da nossa equipa. A personalização das armas será semelhante ao que vimos em Bad Company 2
Haverá a presença de co-op, 4 classes de soldados e a equipa está a pensar numa forma para que grupos com mais de 4 jogadores não fiquem limitados ao numero limite do esquadrão.
Existe a possibilidade de haver uma opção que permite gravar vídeos, tal como acontece em Call of Duty, mas a maior dedicação da DICE continua a ser para que não hajam quaisquer formas de batota nos servidores. Contudo, continuarão a ver se conseguem colocar esta funcionalidade nesta versão.
Não foi dada qualquer confirmação da funcionalidade de “Commander”, mas que será pouco provável que essa opção apareça em Battlefield 3.
Tudo o que a equipa coloca no jogo tem de ter uma maneira de contra atacar, nada pode ser overpowered.

imagem_09_Copy

Quanto ao single-player, sabemos que Battlefield 3 não contará com as mesmas personagens dos Bad Companies. Afinal de contas, a série Bad Company foi uma série à parte dentro da série Battlefield.
A GameInformer descreve uma missão à qual assistiram – passa-se em Suleimania, o centro económico e cultural do Curdistão Iraquiano, durante o ano 2014.
A acção começa com o 1º batalhão dos U.S. Marines a andar dentro de uma LAV, em plena hora de ponta. A revista descreve ao pormenor a missão, mas para não estragar a surpresa a ninguém, digo-vos apenas que uma das personagens da história se chama Sgt. Black, que o jogo irá ter bastantes acções cinematográficas e que o tom de acção e de diálogos será mais imersivo e agressivo do que o que vimos anteriormente. O jogo possivelmente será classificado como “Mature”.
Já sabiam, mas vale sempre a pena relembrar que a opção para nos deitarmos no chão (Prone) está de volta, assim como os aviões a jacto. Os mapas serão maiores do que já vimos anteriormente nas consolas e haverá a opção para arrastarmos jogadores feridos. Além disso, as cidades de Nova Iorque, Paris e Teerão estarão presentes no jogo.
A EA e a DICE falarão mais sobre o jogo durante a GDC’11, que decorre durante a esta semana, de 28 de Fevereiro a 4 de Março. Battlefield 3 está agendado para sair no Outono desde ano.

imagem_10_Copy

Fonte:

Sem comentários

  1. **G3**

    4 de abril de 2011 em 19:40

    Tem tudo p ser bom esse jogo!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Algo relacionado ao Battlefield 6 (ou Battlefield 3 Remaster) está acontecendo

Com a estranha exclusão repentina de ontem da conta oficial do Battlefield no Tw…