Se o grande apagão da PlayStation Network vai custar à Sony US$ 24 bilhões, como alguns estimam, pode apostar que uma parte disso vai ser destinada a pagar honorários de advogados. Hoje, um escritório de advocacia da Califórnia entrou com um processo que busca status de ação coletiva, alegando que a Sony não seguiu as normas da indústria para proteger os 77 milhões de clientes da PSN, prejudicados por “uma das maiores violações de dados na história da internet.”

O Novato (sim, esse é o nome), um escritório de advocacia com sede na Califórnia, entrou com a ação em nome do requerente Kristopher Johns. A denúncia de 22 páginas (leia aqui, em pdf) alega que a Sony violou os padrões industriais de segurança que foram criados para proteger dados de cartão de crédito de usuários de serviços online, e não seguiu as exigências legais para proteger os registros dos mesmos.

O atraso da Sony em revelar aos seus clientes a violação de segurança, que ocorreu cinco dias depois da invasão à rede da empresa, também constitui em uma falha: não avisar adequadamente aos usuários da rede que eles estavam correndo riscos.

A denúncia não cita perda de dinheiro, mas uma gama completa de indenizações – compensatórias, preventivas e punitivas. Além dos honorários dos advogados, é claro.

E o primeiro processo contra a Sony finalmente surge [Gamasutra, em inglês]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Franquia Call of Duty bate recorde e alcança US$ 3 bilhões em vendas no ano

Com lineup formado por COD Mobile, Warzone e Black Ops Cold War garantiu mais de 200 milhõ…