A história: era uma vez um fórum chamado 4chan. Lá não era preciso se cadastrar para postar, então todos eram usuários anônimos. Por isso, em cada post, aparecia a palavra “Anônimo”. A Fox News achou que esse era o nome de uma organização de ciberterroristas, alguns membros da comunidade gostaram da brincadeira e se autointitularam os defensores da liberdade na internet.


Foram eles que atacaram sites que estavam bloqueando doações ao WikiLeaks na época do escândalo envolvendo o seu fundador, Julian Assange, e são eles que agora estão de olho na Sony.

“Parabéns, Sony. Vocês agora têm a atenção total dos Anônimos. Suas ações legais recentes contra os companheiros hackers GeoHot e GrafChokolo não só nos alarmaram mas também foram recebidas como uma ofensa completamente imperdoável”, diz um anúncio no site do grupo.

“Você abusou do sistema judicial em uma tentativa de censurar informações sobre como seus produtos funcionam. Você prejudicou seus próprios consumidores simplesmente por estes possuírem e compartilharem informação, e continua a perseguir aqueles que buscam essa informação. Dessa forma você violou a privacidade de milhares de pessoas inocentes que simplesmente almejam a distribuição livre da informação”.

Esse anúncio se refere, em teoria, à divulgação de várias chaves de segurança que colaboraram com o destravamento do PlayStation 3. Agora a Sony está processando os hackers GeoHot e GrafChokolo por isso, e chegou até a obter, na Justiça, os dados de todas as pessoas que visitaram o site de George Hotz.

ATACANDO A SONY – PSN

GeoHot

A “punição” pela empresa ter “visto um vespeiro e colocado seu pênis nele” é ter seus sites derrubados pelo grupo: “Você tem os seus domínios. Pagou-os com o seu próprio dinheiro. Agora os Anônimos estão atacando a sua propriedade privada porque discordam de suas ações”, dizem os Anônimos. Essa “Operação Sony”, porém, parece ainda não ter sido colocada em andamento.

ATACANDO A XBOX LIVE

Stephen Toulouse

Do outro lado, a Microsoft também tem sofrido retaliações, mas por “agentes” solo. Stephen Toulouse, também conhecido como “Stepto”, é o funcionário da Microsoft responsável por cuidar da ordem na Xbox Live, cargo que também pode ser interpretado como o “cão de guarda” da rede, o homem do “Ban Hammer”, aquele que pode fazer um usuário pirata ser banido. Ele teve sua conta da Live e seu site pessoal atacados.

O hacker “Predator”, acusado pelos dois crimes, disse pelo YouTube que fez isso como vingança por ter sido banido 35 vezes da rede online do Xbox 360 – e mostrou as cenas da “invasão”.

http://www.youtube.com/watch?v=ryfZv_qq7Uk&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/watch?v=m0wi9zWsFM8
Anônimos contra a Sony [AnonNews, em inglês]
Predador contra a Microsoft
[Ritpten, em inglês] [Foto: “Anônimos” em uma manifestação contra a Cientologia – DigitalTrends]

Aparentemente, Stepto já recuperou o controle de ambas as contas, e os usuários do YouTube já trabalharam para saber nome e endereço do “Predador”. Resta agora saber o que vai acontecer à Sony. Será que ninguém está seguro?

 

Fonte:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

TV 8K da Sony ‘ideal para PS5’ chega ao Brasil com 75″ e preço de carro

Modelo já está disponível para comprar no site oficial da marca A Sony começa a vender a n…