Recentemente, autoridades chinesas criaram uma compilação de vídeos com acidentes horripilantes, com imagens de câmeras de segurança, para incentivar a direção segura. Mais de 12 milhões de chinesas o assistiram online. Agora começa a ser visto por aqui. Por que as pessoas são tão obcecadas com acidentes de carros?

AVISO, vídeo forte na sequência.

As pessoas adoram ver vídeos com acidentes de carros, especialmente aqueles em que nos garantem que ninguém se feriu com gravidade. Mas e este vídeo chinês? Assim como outros antes dele, parecem atrair (ainda) mais atenção quando envolvem dor. E no caso deste, há muita dor envolvida – é basicamente um filme snuff. Então porque este vídeo em particular foi tão visto?

Superficialmente, podemos pensar no conceito da curiosidade mórbida. Por sinal, tem se tornado algo tão comum que quando descrevemos algo tão terrível que não se pode deixar de ver, o descrevemos “como um acidente de carro”.

Segundo Roland Maiuro, um professor de psiquiatria na Universidade de Washington, nós temos a tendência de assistir acidentes de carros porque “o acidente oferece um contato próximo sem nos expormos ao risco”.

http://www.youtube.com/watch?v=mZA_gUTwImI&feature=player_embedded

Este “contato próximo” com o risco de um acidente também remove do espectador um pouco do medo, porque inevitavelmente ele se torna mundano. Como explica Mikita Brottman em seu livro Car Crash Culture:

Ver uma série de acidentes violentos de carros [em filme], um após o outro, é uma maneira de integrar o trauma em uma economia psíquica, mantendo assim algum nível de controle sobre ele. Em outras palavras, a repetição do trauma produz duas atitudes conflitantes com relação à morte: a que a reconhece como traumática e a que nega a sua capacidade de ferir (…) Acidentes repetidos seguidamente deixam de parecer acidentes e começam a parecer repetitivos, automáticos, propositais e tecnológicos.

E para alguns, há o fator Crash. Na adaptação de David Cronenberg para os cinemas – citado pelos comentaristas do Jalop no pultimo post sobre filmes – de um livro sobre o tema, as pessoas literalmente se excitam ao ver acidentes de carros. Um dos personagens no filme expressa um motivo semelhante ao anterior quando diz que “depois de ser eternamente bombardeado pelas campanhas de segurança no trânsito, é praticamente um alívio me ver envolvido em um acidente de verdade”.

E o que dizer do fascínio que acidentes causam no tráfego das estradas? Sempre que há um congestionamento, pode apostar que houve algum choque à frente, e que todos os motoristas curiosos reduzem a marcha para poder ver melhor o que acabou de acontecer – e o que poderia ter acontecido com eles próprios, em questão de minutos.

Em um relatório sobre nossa fascinação com acidentes, pesquisadores compararam dirigir com jogos de azar (PDF) e dizem que o prazer é maior por causa do risco.

“Alguns apostam e dirigem pela excitação, que é ampliada pelo risco de uma quebra/acidente.”

Se você extrapolar isso então, assistir acidentes de carro torna o ato de dirigir mais excitante porque nós de certa forma estamos cientes do risco mas, simultaneamente, menos ligados às consequências reais de um, e insensíveis à sua existência. Apesar de soar como aqueles argumentos geralmente usados por organizações dos valores da família contra games violentos, será que esta é a única razão pela qual assistimos?

As razões do porque esses vídeos são tão atraentes talvez tenham raízes mais profundas na psicologia de como percebemos o perigo e a justiça. Um estudo de 2006, que colocou jogadores uns contra os outros em um jogo no qual um jogador agia com justiça e o outro não, nos oferece uma luz sobre o assunto. Imagens de escaneamentos cerebrais mostram que quando o jogador certinho era premiado, isso estimulava sensações positivas nos outros. Quando a pessoa que agia de forma errônea era punida, também estimulava sensações positivas, levando os pesquisadores a concluir que “humanos derivam sua satisfação simplesmente ao ver a justiça prevalecer, mesmo que a punição esteja fora de seu controle”.

http://www.youtube.com/watch?v=w1qQ6i_JXIc&feature=player_embedded

E o que dizer do fascínio que acidentes causam no tráfego das estradas? Sempre que há um congestionamento, pode apostar que houve algum choque à frente, e que todos os motoristas curiosos reduzem a marcha para poder ver melhor o que acabou de acontecer – e o que poderia ter acontecido com eles próprios, em questão de minutos.

Em um relatório sobre nossa fascinação com acidentes, pesquisadores compararam dirigir com jogos de azar (PDF) e dizem que o prazer é maior por causa do risco.

“Alguns apostam e dirigem pela excitação, que é ampliada pelo risco de uma quebra/acidente.”

Se você extrapolar isso então, assistir acidentes de carro torna o ato de dirigir mais excitante porque nós de certa forma estamos cientes do risco mas, simultaneamente, menos ligados às consequências reais de um, e insensíveis à sua existência. Apesar de soar como aqueles argumentos geralmente usados por organizações dos valores da família contra games violentos, será que esta é a única razão pela qual assistimos?

As razões do porque esses vídeos são tão atraentes talvez tenham raízes mais profundas na psicologia de como percebemos o perigo e a justiça. Um estudo de 2006, que colocou jogadores uns contra os outros em um jogo no qual um jogador agia com justiça e o outro não, nos oferece uma luz sobre o assunto. Imagens de escaneamentos cerebrais mostram que quando o jogador certinho era premiado, isso estimulava sensações positivas nos outros. Quando a pessoa que agia de forma errônea era punida, também estimulava sensações positivas, levando os pesquisadores a concluir que “humanos derivam sua satisfação simplesmente ao ver a justiça prevalecer, mesmo que a punição esteja fora de seu controle”.

Isso é corroborado pelo exemplo chinês. A razão pela qual a maioria destes acidentes é filmada e mostrada pelas autoridades é porque quase sempre são exemplos de pessoas que não dirigem corretamente. E os comentários para este vídeo em particular no Youku (o YouTube chinês), traduzidos pelo China Smack, mostram exatamente esta mesma preocupação com justiça.

Estas pessoas não respeitam as leis de trânsito. Exijam que os departamentos de trânsito da China modifiquem as leis para que aqueles que não obedecem as regras como respeitar o sinal vermelho e assim causam acidentes que resultam em mortos e feridos não apenas morram, como também paguem multas e reparações.

Há inúmeros comentários como este, que ignoram o prejuízo humano e se concentram na justiça.

Vamos testar tudo o que você acabou de ler. Se você viu o vídeo, comente abaixo porque o assistiu. Já se tornou meramente uma distração repetitiva? Será que isso torna o ato de dirigir mais empolgante para você? Você fica satisfeito ao ver as pessoas punidas? É puramente schadenfreude, ou você é o James Spader?

FONTE:

Sem comentários

  1. [COBRA] QUICKSHOT

    17 de agosto de 2011 em 08:13

    kkkkkkkkkkkkkk.. o que era aquele Kampas de zica passando no meio do acidente ??? o China nasceu de novo!!!! putz que khda!!! :sweat:

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

TV 8K da Sony ‘ideal para PS5’ chega ao Brasil com 75″ e preço de carro

Modelo já está disponível para comprar no site oficial da marca A Sony começa a vender a n…