Um aplicativo previamente aprovado pela Apple está propondo a “cura” para a homossexualidade –e causando polêmica com isso.

De acordo com informações do site Digital Trends, o programa para iPhone é fornecido pela Exodus International, e está descrito no iTunes como um meio de “acesso a notícias atuais, informações e recursos” do grupo.

No entanto, informa o site, um dos motes da entidade é a discussão da “sexualidade indesejada”, além de propor “terapia reparadora” para supostamente livrar gays da orientação sexual.

O Digital Trends questiona ainda o fato de o aplicativo receber uma boa avaliação (+4), a despeito das críticas que recebeu nas resenhas sobre o produto (que são feitas pelos próprios usuários.

“É uma iniciativa baseada em ódio da direita religiosa fanática, que pretende fazer uma lavagem cerebral e emocional, destruindo gays e lésbicas e coagindo-os a odiarem a si mesmos com base em sua orientação sexual natural… Estou indignado e decepcionado que a Apple permite que este grupo de ódio esteja em seus produtos como o iPhone”, escreveu um usuário.

“Esse aplicativo é pouco mais que um navegador para navegar em um ‘jardim do êxodo’ de conteúdo anti-gay previsível”, declarou outro.

Há um usuário que questiona, ainda, quando a Apple vai colocar um aplicativo da Ku Klux Klan (conglomerado de organizações racistas nos Estados Unidos).

“A Apple está em uma posição delicada: o conteúdo do aplicativo é tudo menos inflamatório. Em vez disso, é apenas uma proclamação de crenças em um formato pobre. Mas a Apple não é um juiz moral, quando se trata de religião e ética –é um juiz quando se trata de aplicativos do usuário”, diz o Digital Trends.

Fonte:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…