[album: https://www.clancobra.com.br/wp-content/plugins/dm-albums/dm-albums.php?currdir=/wp-content/uploads/dm-albums/Killzone 3/]

“Enquanto vocês estão aqui passeando… tem uma guerra rolando lá fora”, advertiu o cosplayer de Natko enquanto dezenas de pessoas aguardavam, em frente da loja SonyStyle do Shopping Bourbon, na capital paulista, o lançamento oficial de Killzone 3 no Brasil.

As portas abririam apenas à meia noite para que os compradores – tanto quem reservou seu jogo com antecedência quanto quem chegou para garantir o seu na hora – entrassem e colocassem suas mãos no jogo de tiro da Guerrilla Games, mas o movimento começou bem antes disso.  A fila começou a se formar em torno das 22h, e pouco mais de uma hora depois entraram os dois atores: um representando o soldado da ISA, e outro um dos Helghast, os “do mal” do mundo de Killzone, para agitar o pessoal. E agitou, pelo menos no início. Nos primeiros “Vocês estão prontos para a guerra!?” ninguém demorou para levantar os braços e urrar qualquer coisa, mas a empolgação foi passando com o tempo, ainda que a performance (com essa e outras falas) tenha durado até pouco depois da meia-noite.

Nesse meio tempo, os fãs dedicados se revezavam entrando na loja, três de cada, para experimentar o jogo do jeito completo: óculos, televisão 3D e até a Sharpshooter, a metralhadora de plástico que estava presente durante a nossa visita ao quartel-general da Sony mas que ainda não está à venda. Proporcionar essa oportunidade (principalmente a do 3D), era uma preocupação da Sony para o público brasileiro, e a recepção certamente foi boa. A Edição Limitada, mencionada anteriormente, também não estava disponível.

O evento correu tranquilamente, sem atrasos ou problemas, até que em torno da uma da manhã todos estavam com seus jogos em mãos. Um público certamente menor que o lançamento de God of War 3 que aconteceu na mesma loja, mas acima das espectativas, disse Anderson Gracias, gerente geral da divisão de PlayStation no Brasil, ao Kotaku BR.  Já no fim do evento, ele mencionou que o peso da franquia estrelada por Kratos é muito maior do que Killzone, e por isso mesmo esperava menos visitantes para o lançamento. Mesmo assim (apesar de não ter números),  ele avaliou como positiva a presença do público. A espectativa de vendas de Killzone 3 no Brasil é de 35 mil unidades.

Aproveitamos também para falar um pouco do futuro. Os próximos grandes lançamentos do PlayStation 3 no Brasil em 2011 serão SOCOM 4, InFamous 2 e, mais para frente Uncharted 3 – mas nada se sabe sobre possíveis eventos especiais como esse. Gracias não comentou sobre preços, mas disse que não há expectativas de que o valor dos jogos abaixe – eles devem se manter na faixa dos R$199.

Por outro lado, ele prometeu uma estratégia “bastante agressiva” para os games de PSP que serão lançados oficialmente no Brasil. Também sem mencionar valores, ele garantiu que os UMDs chegarão “baratos” ao mercado nacional. Já o aparelho em si continua com aquele preço e vem caixa e manual em português, mas sem tradução do sistema.

Outra boa notícia: a PlayStation Network chegará oficialmente ao Brasil ainda esse ano, “mais rápido do que vocês esperam”, garantiu Gracias. Ainda não há uma data confirmada para abrir as portas do serviço, disse, e atualmente estão sendo analisadas as questões de cobrança – se será possível aceitar cartões de crédito nacionais ou apenas internacionais – mas que em breve a rede estará entre nós.

Em suma, foi uma noite boa, com um jogo bom e novidades boas para quem tem um PlayStation 3 em casa. A análise completa de Killzone 3 você confere na próxima semana.

 

 

Fonte:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Bud Light anuncia um console com porta-cerveja

Parece que essa geração vai ser bem movimentada Depois da KFC anunciar o seu console com f…