Em seu enterro formal, a última pá de terra na cova do Guitar Hero foi colocada pela indústria fonográfica. Em seu comunicado meio desgostoso, a Activision diz que tornou-se insustentável continuar a produzir jogos que dependem de músicas. Isso acontece porque o custo de licenciamento dessas canções é muito elevado, de modo a encarecer demais o produto. Para completar, fabricar os jogos também era custoso, segundo a fabricante.



Simples assim: continuar com o Guitar Hero é caro demais, principalmente por conta das empresas de música. Logo, a Activision decidiu acabar com a franquia. E fique sabendo que nenhum jogo previsto para esse ano será efetivamente lançado.

Essa não é a primeira vez que um jogo no estilo de GH passa por situação complicada. No fim do ano passado, a Viacom – ela é proprietária da marca MTV em diversos países, inclusive no Brasil – decidiu dar fim ao Rock Band, considerado o principal concorrente do Guitar Hero. Em vez de fechar a divisão que mantinha o jogo atualizado, a empresa preferiu vender a empresa Harmonix, que havia sido previamente comprada por ela. O valor do negócio não foi divulgado, mas fontes de mercado confirmam que a Viacom ficou feliz de livrar-se desse pepino.

Fonte: Rollingstone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

As lições de Call of Duty para o cenário de games em 2020

Um dos maiores méritos das franquias de videogame que se mantêm no cenário a longo prazo é…